#VamosDeDocumentário: ARTIFACT! A dura indústria da música + Thirty Seconds to Mars

Bom dia booom dia minha gente! Como vocês têm passado? Espero que super bem! Assisti ontem aqui em casa o documentário Artifact (2012), ele fala sobre a dura indústria da música, as gravadoras e as bandas. Logo após assistir (e durante mesmo) eu já queria correr aqui para o blog para contar para vocês sobre ele!

Eu nem sabia que este documentário existia, até ontem. Procurava alguma coisa para assistir para passar o tempo e acabei encontrando Artifact no Net Now, não pensei duas vezes e apertei o play. Vale a pena minha gente, assistam! E ah, é de graça 🙂

artifact1
O documentário recebeu diversas nomeações e ganhou diversos prêmios!

Para quem não sabe, o documentário conta duras verdades sobre o mercado musical moderno, os contratos abusivos por exemplo. Além disso, é focado na banda Thirty Seconds to Mars, oferecendo acesso íntimo a vida dos integrantes Jared, Tomo e Shannon enquanto produziam seu álbum This Is War e junto a isso, mostram a luta do processo implacável de 30 milhões de dólares que a gravadora deles, EMI, colocou sobre eles. Nada fácil né? Confiram o trailer abaixo.

Todos sabemos que a indústria da música é e sempre foi um dilema. Os artistas buscam a arte. As gravadoras buscam as cifras. Triste realidade. E o documentário nos mostra exatamente isso. Por exemplo, os círculos viciosos que as gravadoras criam… é assim: ela empresta uma quantia de dinheiro para o artista (para produção do álbum, turnês e embalagem de CDs, dentre outros). Só que no final ela pega uma GRANDE % de volta e mais um pouco, fazendo com que o artista fique em dívida e tenha que renovar o seu contrato. E começa tudo de novo.

E caso o artista queira se desvincular de sua gravadora garanto que não será nem um pouquinho fácil, afinal é tudo o que eles não querem. Se você tiver o dinheiro para pagar a multa e arcar com as consequências é “fácil”. Caso não, eles te colocam na prateleira do pensamento, se é que vocês me entendem.

artifact2

Outro ponto de destaque do documentário é a questão da globalização e seu impacto negativo na indústria musical. Mas como assim? Hoje em dias são pouquíssimas as pessoas que vão até uma loja comprar os álbuns dos artistas, as vezes os fãs de carteirinha sim (mas até assim é difícil). Ou seja, o lucro obtido pelas gravadoras em questão de álbuns vendidos reduziu drasticamente.

O fato é que atualmente o download ilegal de músicas é muuuito alto. Sem contar a existência do iTunes, Spotify, YouTube, dentre outros. Ou seja, se você quiser escutar sua música favorita a solução hoje é fácil, rápida e sem gasto algum. Terrível para a indústria.

E eu devo dizer que acho isso super triste… lembro que a minha maior alegria quando era adolescente era sair correndo para as grandes livrarias para comprar os CDs ou ligar e pedir para o vendedor reservar haha. Afinal, era nossa única maneira de se sentir junto dos artistas. Assim ou acordar sábado de manhã para assistir o TOP TVZ , por sinal #saudades! Alguém ai era dessa época também?

giphy

No decorrer do documentário observamos a luta da banda Thirty Seconds to Mars e principalmente do líder, Jared Leto, que tomou a frente da briga. Eles buscavam o ideal, a justiça pelo seu trabalho, pela arte, por integridade, por caráter e por dinheiro. Afinal, ser processado pela bagatela de $ 30 milhões (por algo que é SEU) e dormir a noite não é algo muito fácil de lidar. Como Jared diz: “Eles estão conseguindo exatamente o que querem… dominação total e completa sobre o artista”.

Com o dinheiro que havia sobrado do álbum anterior, decidiram comprar todos os equipamentos necessários para a produção do seu novo álbum, instalaram no porão de sua casa e contrataram um produtor para ajudá-los. E foi assim, com dias de alegria, dias de tristeza, dias de luta, com somente os quatro, que surgiu a obra de arte This Is War. Estavam sozinhos, entretanto, mais unidos e fortes do que nunca!

artifact3

Vale a pena ressaltar para vocês aqui que essa indignação não está restrita somente ao Thirty Seconds to Mars não hein. O documentário contou com a presença forte de diversos outros artistas, como Chester Bennigton (Linkin Park), Brandon Boyd (Incubus), Amanda Palmer, Damian Kulash (OK Go), Falvor Fav e, Serj Tankian (System of a Down).

Não quero contar muito e todos os detalhes para não estragar a “surpresa” na hora de assistir. Mas não podia terminar esse post sem contar que ATÉ HOJE a banda Thirty Seconds to Mars não recebeu uma vírgula de dinheiro por seus álbuns e, ainda estão em dívida com a gravadora (isso até o final do documentário, não sei a situação atual – 2017 – deles). Triste demais, não?

artifact4

O que eu tenho para falar a todos vocês é: ASSISTAM! Se vocês gostam de música assim como eu, tenho certeza que vão amar. Se antes já era fã dos caras, preciso dizer que hoje sou mais ainda. Admiração é a palavra certa! Observar como em meio de todo aquele CAOS eles se reuniram, juntaram suas forças, deram forma e criaram a obra de arte que é o último álbum, é fantástico. 

Mas preciso alertar vocês para terem cuidado, ao terminar garanto que muitos de vocês vão ficar irritados e indignados. Alias, para quem ainda não sacou, o nome do álbum do Thirty Seconds to Mars retrata o momento vivido e a declaração perante o acontecido. O fato é que a luta continua… e agora é guerra!

E vocês, já assistiam Artifact? O que acharam?

bisou2

4 comentários em “#VamosDeDocumentário: ARTIFACT! A dura indústria da música + Thirty Seconds to Mars

  1. Não sabia desse documentário. Gostei! Porque gosto de documentários assim que mostram a verdade. Igual a um filme que eu vi, que nem é classificado como documentário, mas mostra como os DJs produzem as faixas de eletrônica, o filme se chama “Música, Amigos e Festa” no título original é We Are Your Friends, tem no Netflix. Quando puder ver 😉

    Beijos!
    http://www.likeparadise.com.br

    Curtido por 1 pessoa

    1. Assiste mesmo Thami, vale a pena 😀 E sim, esses documentários que mostram a realidade são fantásticos mesmo!!!
      E aiii, eu já assisti algumas partes deste filme, mas não inteiro ainda! Parece ser bom 🙂 Vou ver se essa semana vejo ele todo!! Valeu pela dica! Beijoss

      Curtir

▼ Comente aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s